Um livro que faz você saber quem é na real é cerebral

Pode ser significativo escrever um livro sobre como saber quem você é. E quem poderá dizer que não será um livro que valerá a pena ler?

Compartilhar:

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on whatsapp
saber quem você é

Parece que o mundo está girando e você está apenas tentando encontrar o seu equilíbrio digamos para saber quem você é? Você se sente constantemente em um estado de fluxo, questionando quem você realmente é e quem deseja se tornar?

Talvez seja hora de fazer um auto-inventário e fazer um inventário de seus valores. Encontrar a si mesmo pode ser alcançado perguntando-se as seguintes questões: Quem sou eu? Para onde estou indo? O que quero na vida? Estou no caminho certo? Devo fazer faculdade de Direito e me tornar um advogado criminalista?

Essa história de alcançar a felicidade pode ser fácil se você souber exatamente o que fazer. Quando se trata de felicidade, há uma série de fatores que você precisa considerar. A primeira questão é descobrir seus valores, que são o que você considera importantes na vida.

Depois de saber o que você valoriza, é importante reservar um tempo para eles em sua programação. Reserve tempo para relacionamentos, família, amigos, aprendizados diversos, entre outras coisas.

Pode ser significativo escrever um livro sobre como saber quem você é. Quem poderá dizer que não será um livro que valerá a pena ler?

Escrever buscando descobrir-se pode quem sabe fornecer as ferramentas para saber quem você é, que é a chave para viver a vida que deseja. Neste livro poderá estar contido exercícios para ajudá-lo a identificar o que você realmente deseja da vida, quais valores são mais importantes para você e qual é o arquétipo de sua personalidade única.

Mas como descobrir quem você é?

Aposto que, se você está lendo isso, está lutando contra quem você é ou o que deseja ser. Bem, se for esse o caso, fico feliz em oferecer algumas dicas. Nem sempre é fácil saber quem você é, mas também não é difícil. Uma boa maneira de saber quem você é é fazer o seguinte:

  • Escreva um diário. Anote seus pensamentos, sentimentos e qualquer outra coisa que vier à mente. Mesmo que pareça idiota ou não faça sentido. Continue escrevendo em seu diário até sentir algo. Pode ser um sinal que você está colocando para fora detalhes importantes de como você é de verdade.
  • Invista em um projeto de arte. Pegue uma tela em branco e pinte, aceite esse desafio. Você pode usar um look quem sabe escolhendo um ângulo bacana da imagem de uma selva. Ou de um simples parque florido. A escolha é sua e pode ser que fique com o sentimento gostoso do tipo “mal posso esperar para ver como ficará quando terminar!”. Ao final da experiência talvez tenha uma surpresa de ver que o que fez foi revelar sentimentos que estavam à porta para saírem.
  • Tente escrever sobre o que você gosta. Se você pegar coisas de sua memória afetiva para fazer isso, quem sabe seja mais fácil para você encontrar suas paixões, ou o seu propósito na vida. Isso porque ao escrever o que você gosta, você naturalmente será atraído pelas coisas que você curte, assim como poderá ajudá-lo a se tornar mais confiante em quem você é, e isso irá ajudá-lo a se manter confiante.
LEIA  A arte de colorir letras criativas estimula a criatividade

Outras dicas referem-se à melhoria de sua atenção:

  • Anote seus pensamentos e sentimentos, e depois de algumas sessões, organize seus pensamentos e analise seus sentimentos.
  • Concentre-se em suas experiências físicas e desafios e escreva a respeito.
  • Concentre-se em todas as emoções que você experimenta e escreva-as.

Mude o tom de seu livro

Mas pode acontecer que o livro ganhe um viés mais dicotômico. Por exemplo, uma “disputa” entre o cérebro esquerdo versus cérebro direito. É um confronto da esquerda contra a direita – ou se você quer dar um tom mais político, já terá os polos opostos à disposição – esquerda contra a direita!

Mas para esta competição, cabe a você decidir o que é melhor – o hemisfério esquerdo do cérebro ou o hemisfério direito? Para começar, você relaciona alguns fatos sobre cada lado. Assim tem o cérebro esquerdo: o hemisfério esquerdo abriga o centro da linguagem, que é responsável pela comunicação verbal, ao passo que o hemisfério direito abriga consciência espacial que contribui para nosso senso de equilíbrio.

Vale ter em mente que o cérebro é a parte do corpo que controla todas as ações e reações do corpo. Como cada pessoa tem um cérebro, é natural que o cérebro irmão fique competindo pelos direitos de se sentar em frente à consciência e os pensamentos. Os dois cérebros não são iguais, nem fisicamente nem em função, mas estão sempre tentando provar que o cérebro que está à esquerda é superior ao cérebro que fica à direita, e vice-versa.

O velho e bom conflito à tona

Bem, agora que você já sabe que existe um ditado sobre o cérebro direito versus o cérebro esquerdo é hora de ajustar o tom para que eles possam trabalhar para você!

LEIA  Chutando o bloqueio criativo para escanteio

Na verdade, eles estão constantemente em desacordo, mas é preciso decidir qual usar.

O lado esquerdo do cérebro é o lado lógico do cérebro. É lógico, organizado e racional.

O cérebro direito é o lado criativo do cérebro. Ele usa a intuição e a imaginação para resolver problemas.

Esses dois lados do cérebro estão sempre em conflito um com o outro, mas se você for inteligente, ambos trabalharão juntos para resolver qualquer problema.

Mas por que o bom e velho conflito entre o cérebro direito e o esquerdo nunca cessa?

Esta é uma questão que vem deixando os cientistas perplexos há muito tempo. Na verdade, tem sido uma rivalidade desde que todos se lembram. É como se as duas metades do cérebro nem quisessem trabalhar juntas. Um está dizendo para você fazer algo e o outro está dizendo para você não fazer. Um está lhe dizendo para ajudar essa pessoa e o outro está lhe dizendo para não ajudar essa pessoa. É um pensamento terrível ter os pensamentos de alguém discordando uns dos outros. Precisamos ser capazes de ter uma mente clara e estável para que possamos tomar decisões que ajudem a nós mesmos e aos outros.

Bem, tudo isso são conhecimentos e dicas para você quem sabe escrever um livro sobre como saber quem você é. Se isso tudo ajudar você nesse intento já valeu a pena escrever esse post. Aliás, vale dizer, escrever sobre quem somos deveria ser uma tarefa destinada a todos que buscam descobrir-se para viver melhor consigo mesmo e com os outros. Isso é possível independente da briga entre esquerda e direita!

Fique Conectado

Conteúdo sempre atualizado