3 correntes literárias que se expandiram em séculos recentes

O realismo é um dos movimentos literários e pode ser expresso de muitas maneiras. Longe vão os dias do romance "gótico", onde a loucura parecia prevalecer. Sim, mas o realismo também pode ir longe demais.

Compartilhar:

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on whatsapp
realismo

Introdução

O realismo é um dos movimentos literários e pode ser expresso de muitas maneiras. Longe vão os dias do romance “gótico”, onde a loucura parecia prevalecer. Sim, o realismo também pode ir longe demais.
A diferença entre esses dois tipos de romance é que o romance gótico, que muitas vezes gira em torno do sobrenatural, não se baseia em nenhuma realidade. O subtexto do romance gótico é que a insanidade é inevitável e pode ser tudo o que existe. Se a loucura não pode ser evitada, que seja.
O romance gótico sugere que a única maneira de derrotar a insanidade é derrotar a sociedade, derrotar a civilização. Se não houver sociedade, civilização, povo, então não há nada para ficar louco.
O realismo literário lida com a representação da realidade. O gênero gótico trata da representação da fantasia. Na maioria das vezes, a fantasia lida com o sobrenatural. Então, se o gênero gótico é frequentemente associado à insanidade, o gênero “realista” lida com as pessoas em seu estado natural.

O gênero gótico

A cultura gótica sempre esteve na vanguarda de como a sociedade percebe o conceito de morte. Ao longo dos tempos, tornou-se o aspecto mais popular de qualquer sociedade a ser refletido pelas pessoas da época. Mesmo agora, é uma subcultura interessante que se tornou popular.
A subcultura gótica remonta à década de 1980, provavelmente o resultado do romance gótico, mas se tornou mais proeminente em nossa sociedade com o passar do tempo. A subcultura tem suas raízes no movimento do Romantismo do final do século 18, combinado com o horror, a morte e os aspectos mais sombrios da cultura vitoriana.
Os aspectos sombrios da cultura gótica não são algo a ser temido, mas algo a ser apreciado. Como uma subcultura, a sociedade gótica é funcional num mundo onde somos bombardeados por um caminho muito claramente delineado para o sucesso e a vida.
Alguns dos principais autores desse gênero literário:
  • Edgar Allan Poe
  • H.P Lovecraft
  • Charles Dickens
  • Lewis Carroll
  • Oscar Wilde
  • Edgar Rice Burroughs
  • Bram Stoker
  • Robert Louis Stevenson
  • Charlotte Brontë
  • J. R. R. Tolkien
LEIA  Dicas para quem quer escrever um romance com final feliz

O gênero realista

A ficção realista é um tipo de literatura que usa um retrato preciso da vida para criar uma história com personagens verossímeis. A ficção realista não imita necessariamente o estilo de realismo da vida, mas usa alguma forma de realismo para ser eficaz.
Frequentemente, é possível encontrar ficção realista em revistas, jornais, contos de histórias, poemas ou romances. A ficção realista é usualmente contada da perspectiva de um personagem, que fornece ao leitor um ponto de vista.
O foco da ficção realista é fornecer ao leitor um retrato preciso da vida. O escritor não precisa ser fiel ao que aconteceu na vida ou como a vida é, mas deve retratar a realidade de alguma forma.
A ficção realista deve ser verossímil, com profundidade emocional, revendo questões sociais contemporâneas, além de possuir um tom universal.
O termo literatura realista vem da crença de que essa literatura captura uma imagem verdadeiramente precisa. A literatura realista concentra-se na vida como ela é, o que dá à literatura realista seu comentário social único.
A literatura realista tem suas raízes no século 19, que também é chamado de revolução industrial. A industrialização trouxe novos empregos, novas classes sociais e novas disparidades econômicas. A literatura realista parecia capturar o sentimento da sociedade naquela época.
Alguns dos principais autores desse gênero literário:
  • Eça de Queiroz
  • Gustave Flaubert
  • Emile Zola
  • Leo Tolstoy
  • Anton Chekhov
  • Honoré de Balzac
  • Miguel de Cervantes
  • Charles Dickens
  • Miguel de Unamuno
  • William Shakespeare

O gênero modernista

Durante o período impressionista e realista, a literatura era considerada uma forma de arte. A literatura era uma forma de autoexpressão e era amplamente baseada nas vidas pessoais, crenças e experiências dos autores.
Hoje em dia, o desejo de capturar as realidades da vida foi substituído por uma sensação de necessidade de capturar a imaginação da vida. A literatura que reflete essa mudança é o movimento modernista.
No movimento modernista, a literatura foi retirada da realidade para representar uma realidade. A literatura modernista rompeu com o passado ao abandonar o naturalismo para explorar a consciência interior e como ele influencia a experiência social. Nestes escritos, símbolos, imagens e metáforas têm precedência sobre o realismo. A literatura modernista era um fórum para os autores, que refletiam sobre suas próprias experiências.
O modernismo na literatura é uma manifestação que se caracteriza pela ruptura com a tradição literária clássica, a adoção de estruturas linguísticas inusitadas e a fusão de elementos da linguagem popular com a mesma. Ou seja, o objetivo do modernismo era explorar a criatividade e a liberdade do escritor para produzir novas formas literárias. Neste sentido, o modernismo busca, na princípio, um retorno à tradição literária. Por outro lado, o pós-modernismo contorce o horizonte da fantasia, em um reencontro com a tradição cantada pelo romantismo.
Pode-se dizer que o gênero literário modernista é um dos estilos operísticos da literatura atual. Escritores do movimento modernista se concentraram em assuntos do seu tempo, inspirados pelas mudanças sociais, tecnológicas, políticas e econômicas. Os escritores modernistas foram aqueles que se opuseram às convenções estilísticas da literatura clássica, explorando o descontentamento com o seu tempo.
Alguns dos principais autores desse gênero literário:
  • Virgínia Woolf
  • James Joyce
  • William Faulkner
  • Marcel Proust
  • D.H. Lawrence
  • Franz Kafka
  • Joseph Conrad
  • Thomas Mann
  • André Gide
  • F. Scott Fitzgerald
LEIA  3 tipos de letras criativas na tipografia criativa

Como escolher um gênero literário para escrever

Mas qual seria o melhor gênero para você escrever?
A escolha de um gênero literário depende principalmente da história. Escolher um gênero literário pode ser uma boa ideia para alguém que quer se concentrar sobre certos temas. Escolher um gênero literário para escrever pode ajudar a criar um espaço para a reflexão ou experimentação.
Uma maneira de começar escolhendo um gênero literário para escrever é pensar o que você deseja escrever. Há uma diversidade enorme de oportunidades de escritores para escolher, mas é importante saber se o seu livro é sobre um romance, uma história de suspense, um conto, uma ficção científica, um argumento histórico ou um poema.
Se você não tem ideia do que gênero literário, utilize algum dos gêneros discutidos neste artigo como uma forma de descobrir o que mais bem se encaixa à sua história.
Tudo tem um começo e um fim, e com uma história isto não é diferente. Mas o “como” você irá contá-la é que fará toda a diferença.

Fique Conectado

Conteúdo sempre atualizado